terça-feira, Agosto 07, 2007

Ora então aqui fica uma musiquinha do Jack Johnson, apropriada para a estação. Para contrariar as más linguas que dizem que o blog morreu. Estava só a hibernar, e é lento, o que é que se pode fazer? lol

sexta-feira, Agosto 03, 2007

trincas - versão luso brasileira



aqui há atrasado postei uma lista de actores a quem dava umas trinquitas! houve quem reclamasse de não incluir material nacional! resolvi expandir o conceito para actores luso-brasileiros! aqui vai! preparem-se que vai ser longa!
1 - Rodrigo Santoro
2 - Diogo Infante
3 - ...errr não me lembro de mais nenhum! Mas estes dois eram suficientes para uma "barrigada" :)

sexta-feira, Maio 25, 2007

humor de férias

é tão triste quando o nosso sentido de humor está de férias... ainda se nos levasse com ele!

sexta-feira, Março 23, 2007

O tempo

Dois meses sem uma linha nova.
Os blogs afinal são como tudo. Fantásticos quando são novidade.
E depois...

terça-feira, Janeiro 23, 2007

ASSIM NÃO

(fonte: http://www.assimnao.org/)





segunda-feira, Janeiro 22, 2007

SIM À VIDA








Não soube do mundo
Era tão pequeno
que ninguém o via.
Dormia sereno
enquanto crescia.

Sem falar, pedia
- porque era semente -
ver a luz do dia
como toda a gente.

Não tinha usurpado
a sua morada.
Não tinha pecado.
Não fizera nada.

Foi sacrificado
enquanto dormia,
esterilizado
com toda a mestria.

Antes que a tivesse,
taparam-lhe a
boca
- tratado, parece,
qual bicho na toca.

Não soltou vagido.
Não teve amanhã.
Não ouviu "Querido"...
Não disse "Mamã"...

Não sentiu um beijo.
Nunca andou ao colo.
Nunca teve o ensejo
de pisar o solo,
pezito descalço,
andar hesitante,
sorrindo no encalço
do abraço distante.









Nunca foi à escola,
de sacola ao ombro,
nem olhou estrelas
com olhos de assombro.

Crianças
iguais
à que ele seria,
não brincou com elas
nem soube que havia.

Não roubou maçãs,
não ouviu os grilos,
não apanhou rãs
nos charcos tranquilos.

Nunca teve um cão,
vadio que fosse,
a lamber-lhe a mão
à espera do doce.

Não soube que há rios
e ventos e espaços.
E invernos e estios.
E mares e sargaços.
E flores e poentes.
E peixes e feras -
as hoje viventes
e as de antigas eras.











Não soube do
mundo.
Não viu a magia.
Num breve segundo,
foi neutralizado
com toda a mestria.

Com as alvas batas,
máscaras de entrudo,
técnicas exactas,
mãos de especialistas
negaram-lhe tudo
( o destino inteiro...)
- porque os abortistas
nasceram primeiro.











(autoria desconhecida)

quinta-feira, Janeiro 11, 2007

2006! 1..2..3..4..5..6..7..8..9..10..11..12..2007

e PLIM o ano passou...



PS: é engraçado como o tempo passa todos os dias, mas neste segundo torna-se mais evidente!

quarta-feira, Dezembro 27, 2006

um texto de alguém que outro alguém me enviou

"As we grow up, we learn that even the one person that wasn't supposed to ever let you down probably will. You will have your heart broken probably more than once and it's harder every time. You'll break hearts too, so remember how it felt when yours was broken. You'll fight with your best friend. You'll blame a new love for things an old one did.
You'll cry because time is passing too fast, and you'll eventually lose someone you love. So take too many pictures, laugh too much, and love like you've never been hurt because every sixty seconds you spend upset is a minute of happiness you'll never get back."

quinta-feira, Dezembro 07, 2006

Manuale d´Amore

Um filme italiano sobre o amor e sentimentos. Sobre as relações e algumas das suas fases: a paixão, a crise, a traição e o abandono. Um filme divertido, irónico mas também muito doce e profundo sobre sentimentos e relações. Gostei, muito.

quarta-feira, Dezembro 06, 2006

o borat e o cazaquistão...


Porque é que o o governo do cazaquistão se insurgiu contra o Borat e o governo do US&A permaneceu calado? Há dúvidas sobre qual o país que é achincalhado por este magnífico filme? OK, reconheço que o Cazaquistão pode estar representado de uma forma muito caricata e extremamente exagerada...
Para os US&A, a abordagem é mais pró realista...

domingo, Dezembro 03, 2006

democracia internacional


Não há como uma passagem por um aeroporto internacional para nos reduzir a nossa mais reduzida e redutora insignificância, uma massa de seres humanos anónimos. No início, ainda temos algum espaço para nos sentirmos mais ou menos importantes: um chega de táxi, outro de metro, outro de carro de aluguer, outro em viatura prórpia, porsche último modelo. No check in, começa já a haver alguma uniformização, com alguma distinção de classes. Os executivos com mini-filas e tapete vermelho, os outros sem tapete e com montes de gente à espera... details. Mas depois vem a passagem "para o outro lado" e aí toda a gente é igual a toda a gente! E cada dia que passa somos mais iguais! Haverá algo mais democrático que humilhação em grupo?
Uma fila enorme para passar os seguranças e mostrar o cartão de embarque. Enquanto isso, um funcionário do aeroporto com um belíssimo sotaque cockney vai dando ordens, com ar importante, as velhas ordens, as novas ordens. Tudo sobre como devemos proceder para passarmos o mais anonimamente possível pela zona de segurança. A última coisa que queremos nesta situação é dar nas vistas, já que isso implicaria apalpação com luvas de borracha e a bagagem de mão inspeccionada, expondo a desarrumação, roupa interior e os sabonetes roubados no quarto de hotel. Estamos todos ali... todas as nacionalidades, todas as profissões, as grandes mentes, os grandes atletas, os burros, os nabos, os parvos, os bons, os maus, os velhos, os novos... todos! Sem poder sair, sem ter qualquer opção! Se quero estar em casa daqui a 6 horas, tenho de aguentar tudo isto! Até mesmo as piadas do outro segurança que tenta ser simpático enquanto nos tira uma fotografia com a câmara digital. Já não chega a foto do passaporte, já não chegam as 300 vezes por dia que somos filmados quando estamos no UK...
Depois de uma hora, conseguimos passar da porta... já só falta o detector de metais e a visão raio x! Sinto-me um bonequinho de um jogo de computador que tem de ultrapassar uma série de obstáculos. Agora, um outro segurança vai distribuindo-nos pelas várias zonas de inspecção... tipo gado, a ser encaminhado para para as ordenhadeiras automáticas. As expressões das pessoas variam: o ar "casual" a ouvir o ipod, o ar irritado e indignado, há quem meta conversa com o vizinho da fila, há quem simplesmente observe obsessivamente os outros e ouça interessadamente as conversas alheias, sem qualquer pudismo. Qualquer coisa que nos faça sentir minimamente humanos numa situação tão desumana...
Chega a minha vez... é a cereja no topo do bolo! Ponho as coisas na esteira, obdientemente: tirei o portátil da mala, os líquidos num saquinho separado, tirei o casaco e pus as coisas pequenas nos bolsos. Tento passar, não me deixam! Faltam o cinto e os sapatos! Fico irritada, podre por dentro, apetece-me gritar e atirar com os sapatos à cara de alguém! Fico com pena de não ter trazido uns ténis que cheirassem muito a chulé! Tenho de lembrar-me para a próxima! Mas entretanto não faço nada para além de lhes mandar um olhar de desprezo "Are we still doing shoes?" Os funcionários discutem se é suposto ou não tirar os sapatos... há filas onde não o estão a fazer! Se eles não sabem, quem sabe! Acrescento um abanar de cabeça e um olhar reprovador, para me humanizar. Enquanto restituo a minha dignidade, calçando os sapatos e os restantes adereços, olho para miúda que vem atrás de mim, com um bebé de 5 ou 6 meses num canguru! Também ela teve de se despir, calçar... E PROVAR O CONTEÚDO DE TODOS OS BOIÕES DE COMIDA DE BEBÉ E DE LEITE QUE TROUXE PARA A CRIANÇA! SIM! TOOOOOOODOOOOS! Fiquei à espera para ver se iam passar o bebé na esteira! Mas não, ainda não se lembraram dessa!

Passo esta fase e sinto-me cansada irritada, humilhada, violada, indignada, aparvalhada... e tantas outras coisas! Parece-me tão ridiculo mas sinto-me tão impotente! As asneiras que se fazem em nome da segurança. Procuro ver as coisas com algum humor, tentando imaginar que novas coisas vão inventar para podermos andar de avião: fazer o pino, andar ao pé-coxinho, usar apenas roupa com flores!? Já sem humor nenhum penso qual será o limite... o nosso limite!

terça-feira, Novembro 14, 2006

a tv e o sono

cenário: ritix morta de sono no sofá! um esforço sobre-humano mantém os seus olhos abertos enquanto um esforço hiper-humano a impede de adormecer mesmo com os olhos abertos! Será possível? será verdade? não!!!!!!! é apenas a TV com a sua grelha de programas aliciante a impede de adormecer! :)

Agora num registo mais sério, o que é que a TV tem de tão fantástico que, por mais estourada que esteja e por pior que seja o programa que está no ar, resisto com todas as forças ao sono e não me vou deitar! Que poder tão cativante é esse que transcende qualquer ser humano que conheço, até mesmo o nosso Ex-Presidente Jorge Sampaio!

disponível para amar...

quem, eu? não! é um título de um filme. coreano. fabuloso. estético. sublime. oriental. subtil. pertinente. tocante. bonito. suave. suavizante. simples. profundo. disponível para amar... quem, eu?

segunda-feira, Novembro 06, 2006

rui veloso @ porto


chuva de fotões
Originally uploaded by ritix.
muuuuuuuito bom! eu não sou fã incondicional do moço! Algumas músicas adoro! outras não gosto e algumas chegam a ser indiferentes! Mas o concerto foi fabuloso! 3 horas de filho pródigo, cheio de sotaque, e muito bem acompanhado: azeitonas, mariza ou marisa, luz casal e cabeças no ar (jorge palma comóaço!)... sala cheia e um público muito entusiasmado! Bonito! de ir às lágrimas!

quinta-feira, Novembro 02, 2006

Vida estúpida...depois morremos!

A vida é mesmo estúpida não é que por mais que façamos vai sempre dar ao mesmo sítio... (someone said)

trintao acha que as mulheres têm direito ao seu corpo

Como é óbvio as mulheres têm direito ao seu corpo...
Se num blog o nível da discussão rapidamente desce assim como é que num referendo se discute qualquer questão com seriedade?

quarta-feira, Novembro 01, 2006

trintona contra o roubo... mas a favor da despenalização

OK. Vamos por partes, em princípio sou contra o roubo, mas a favor da despenalização e logo obviamente num eventual referendo votarei SIM.
Esclarecido este ponto vou passar ao que realmente interessa...não sou naif o suficiente para achar que de certa forma a alteração da lei não é de uma liberalização do roubo até aos 100 euros, sim é. But...ninguém é obrigada a roubar, este é um ponto fundamental. Logo quem não quer, não o faz. Mesmo tendo necessidade, mesmo não tendo o que que comer nem podendo alimentar os filhos, quem não quer não o faz. Quem o quer fazer continua a fazer, quem pode faz de colarinho branco e não é apanhado, quem não pode rouba em condições deploráveis no supermercado da esquina, e correndo o risco de ser criminalizada por isso...alguém acha que na maioria das situações esta é a saida fácil????
Por outro lado concordo inteiramente com quem está contra porque acha que se devem providenciar todas as condições para que não seja possível roubar, condições económicas, sociais e todas as que se acharem relevantes. Vamos pois despenalizar e ao mesmo tempo criar essas mesmas condições....

I rest my case! Não ao facilitismo! Facilitar não é ajudar!

terça-feira, Outubro 31, 2006

trintão contra o aborto....mas a favor da despenalização

OK. Vamos por partes, em princípio sou contra o aborto, mas a favor da despenalização e logo obviamente no referendo votarei SIM. Esclarecido este ponto vou passar ao que realmente interessa...não sou naif o suficiente para achar que de certa forma a alteração da lei não é de uma liberalização do aborto até às 10 semanas, sim é. But...ninguém é obrigada a abortar, este é um ponto fundamental. Logo quem não quer, não o faz. Nem tendo sido violada, nem tendo um feto com mal formações, quem não quer não o faz. Quem o quer fazer continua a fazer, quem pode vai ao estrangeiro, quem não pode faz o aborto em condições deploráveis, e correndo o risco de ser criminalizada por isso...alguém acha que na maioria das situações esta é a saida fácil?
Por outro lado concordo inteiramente com quem está contra porque acha que se devem provifdenciar todas as condições para que a gravidez possa chegar ate ao fim, condições económicas, sociais e todas as que se acharem relevantes. Vamos pois despenalizar e ao mesmo tempo criar essas mesmas condições....

segunda-feira, Outubro 30, 2006

arte em série...


ou uma série de arte?

estilo turista...


...ou apenas estilo?

estilo turista....

ou turista estiloso?

estilo turista....

segunda-feira, Outubro 23, 2006

trintona contra o aborto



Razões para escolher a vida
Nota Pastoral do Conselho Permanente Conferência Episcopal Portuguesa sobreo referendo ao aborto.

1. A Assembleia da República decidiu sujeitar, mais uma vez, a referendopopular o alargamento das condições legais para a interrupção voluntária da gravidez, acto vulgarmente designado por aborto voluntário. Esta proposta já foi rejeitada em referendo anterior, embora a percentagem de opiniões expressas não tivesse sido suficiente para tornar a escolha do eleitorado constitucionalmente irreversível, o que foi aproveitado pelos defensores doalargamento legal do aborto voluntário.

Nós, Bispos Católicos, sentimos perplexidade acerca desta situação. Antesde mais porque acreditamos, como o fez a Igreja desde os primeiros séculos, que a vida humana, com toda a sua dignidade, existe desde o primeiromomento da concepção. Porque consideramos a vida humana um valor absoluto,a defender e a promover em todas as circunstâncias, achamos que ela não é referendável e que nenhuma lei permissiva respeita os valores éticosfundamentais acerca da Vida, o que se aplica também à Lei já aprovada.

Uma hipotética vitória do "não" no próximo referendo não significa a nossa concordância com a Lei vigente.

2. Para os fiéis católicos o aborto provocado é um pecado grave porque éuma violação do 5º Mandamento da Lei de Deus, "não matarás", e é-o mesmoquando legalmente permitido. Mas este mandamento limita-se a exprimir um valor da lei natural, fundamento de uma ética universal. O aborto não é, pois, uma questãoexclusivamente da moral religiosa; ele agride valores universais derespeito pela vida. Para os crentes acresce o facto de, na Sua Lei, Deus ter confirmado que esse valor universal é Sua vontade.

Não podemos, pois, deixar de dizer aos fiéis católicos que devem votar"não" e ajudar a esclarecer outras pessoas sobre a dignidade da vidahumana, desde o seu primeiro momento. O período de debate e esclarecimento que antecede o referendo não é uma qualquer campanha política, mas sim umperíodo de esclarecimento das consciências. A escolha no dia do referendo éuma opção de consciência, que não deve ser influenciada por políticas e correntes de opinião.

Nós, os Bispos, não entramos em campanhas de tipo político, mas não podemos deixar de contribuir para o esclarecimento dasconsciências. Pensamos particularmente nos jovens, muitos dos quais votam pela primeira vez e para quem a vida é uma paixão e tem de ser umadescoberta.Assim enunciamos, de modo simples, as razões para votar "não" e escolher aVida:

1ª. O ser humano está todo presente desde o início da vida, quando ela é apenas embrião. E esta é hoje uma certeza confirmada pela Ciência: todas as características e potencialidades do ser humano estão presentes no embrião.
A vida é, a partir desse momento, um processo de desenvolvimento e realização progressiva, que só acabará na morte natural. O aborto provocado, sejam quais forem as razões que levam a ele, é sempre umaviolência injusta contra um ser humano, que nenhuma razão justificaeticamente.

2ª. A legalização não é o caminho adequado para resolver o drama do "abortoclandestino", que acrescenta aos traumas espirituais no coração damulher-mãe que interrompe a sua gravidez, os riscos de saúde inerentes à precariedade das situações em que consuma esse acto. Não somos insensíveisa esse drama; na confidencialidade do nosso ministério conhecemos-lhe dimensões que mais ninguém conhece. A luta contra este drama social deve empenhar todos e passa por um planeamento equilibrado da fecundidade, porum apoio decisivo às mulheres para quem a maternidade é difícil, pela dissuasão de todos os que intervêm lateralmente no processo, frequentemente com meros fins lucrativos.

3ª. Não se trata de uma mera "despenalização", mas sim de uma"liberalização legalizada", pois cria-se um direito cívico, de recurso àsinstituições públicas de saúde, preparadas para defender a vida e pagas com dinheiro de todos os cidadãos."Penalizar" ou "despenalizar" o aborto clandestino, é uma questão deDireito Penal. Nunca fizemos disso uma prioridade na nossa defesa da vida, porque pensamos que as mulheres que passam por essa provação precisam mais de um tratamento social do que penal. Elas precisam de ser ajudadas e não condenadas; foi a atitude de Jesus perante a mulher surpreendida em adultério: "alguém te condenou?... Eu também não te condeno. Vai e doravante não tornes a pecar". Mas nem todas as mulheres que abortam estão nas mesmas circunstâncias e há outros intervenientes no aborto que merecem ser julgados. É que tirar a vida a um ser humano é, em si mesmo, criminoso.

4ª. O aborto não é um direito da mulher. Ninguém tem direito de decidir seum ser humano vive ou não vive, mesmo que seja a mãe que o acolheu no seuventre. A mulher tem o direito de decidir se concebe ou não. Mas desde que uma vida foi gerada no seu seio, é outro ser humano, em relação ao qual temparticular obrigação de o proteger e defender.

5ª. O aborto não é uma questão política, mas de direitos fundamentais. Orespeito pela vida é o principal fundamento da ética, e está profundamente impresso na nossa cultura. É função das leis promoverem a prática desserespeito pela vida. A lei sobre a qual os portugueses vão ser consultadosem referendo, a ser aprovada, significa a degenerescência da própria lei. Seria mais um caso em que aquilo que é legal não é moral.

3. Pedimos a todos os fiéis católicos e a quantos partilham connosco estavisão da vida, que se empenhem neste esclarecimento das consciências. Façam-no com serenidade, com respeito e com um grande amor à vida. E encorajamos as pessoas e instituições que já se dedicam generosamente àsmães em dificuldade e às próprias crianças que conseguiram nascer.

Lisboa, 19 de Outubro de 2006

terça-feira, Outubro 17, 2006

Conversa entre duas quarentonas...

- Olá! Conta-me...Como correu o teu encontro na outra noite?
- Horrível! Não sei o que se passou!
- Porquê?... Não te deu nem um beijo?
- Sim!!!...Beijou-me tão forte! E mordeu-me os lábios com tanta força que pensei que me ia saltar o implante de colagénio!... Depois começou a acariciar-me o cabelo e soltaram-se algumas extensões que tinha.
- Não me digas que terminou aí?
- Nãooo...!! Depois agarrou-me a cara entre as mãos, até que tive que lhe pedir para parar porque estava a espalhar o botox! Além disso, as minhas pestanas postiças ficaram coladas no seu nariz.
- E não tentou mais nada?
- Sim...começou a fazer-me festas nas pernas. Tive que o travar porque me lembrei que não tinha tido tempo de fazer a depilação, e ao tentar pará-lo, saltaram-me duas unhas postiças. Depois deu-lhe um ataque de luxúria arrebatador e abraçou-me com tanta força que quase mudou a forma dos meus implantes de silicone.
- E depois o que aconteceu?
- Pôs-se a beber champanhe do meu sapato!
- Ai...que romântico!!!
- Romântico?...quase que morre ali mesmo!
- Porquê?
- Porque engoliu o corrector de joanetes e quase que sofocou!
- E depois, o que aconteceu?
- Acreditas que se foi embora???
- Cá para mim, era maricas!...

terça-feira, Outubro 10, 2006

ai mãe ai mãe

trintões nervosos! vejam estes vídeos, vejam o número de candidatos, pensem no que os pobres elementos do júri tiveram que aturar e depois falem-me de nervos! acham que têm razão???????





PS: thanks, bu!

Balneário limpinho



Eu até leio o Record, mas é só ao fim de semana, porque espreito o jornal alheio. À semana confesso que não é jornal diário que compre. Hoje chamaram-me atenção para a capa do Record.
Que luxo! Que guerreiro! Que Afonso Henriques! Que Leão!
Mas o que eu saliento mesmo é: "Este é o melhor balneário da minha carreira"

Porque será? Será limpinho?
De qualquer forma o moço nasceu a 13 de Abril de 1980. É novo... a carreira ainda não é assim tão longa... esperemos até ele jogar no Ajax.
Esse sim, deve ter um balneário limpinho.

(Já agora... "Tonel" é um nome pobre e infeliz. O verdadeiro nome é António Leonel Vilar Nogueira Sousa... o gabinete de imagem do Sportém está a dormir... clube meu não teria Tóneis no plantel)
Para quem dizia que os anúncios da Coca-cola já não são o que eram...
Nostálgicos, saudosistas!



E para esses saudosistas aqui fica a "sensação de viver" no tempo em que os anúncios tinham um minuto e pico...

mau feitio



há pessoas que têm um mau feitio... até deus duvida! O que vale é que algumas sabem cantar o cavalo ruço (e não russo) no lux... anasalado, é verdade, mas pronto! é melhor que nada!

INmudanças


é bom chegar aos 30 e saber que há coisas em mim que não mudaram! Nutella sabe melhor se for comido com os dedos, directamente do frasco :)

sex and the city



último episódio do sexo e a cidade! fabuloso! trintonas para todos os gostos! solteiras & casadas & divorciadas, mães & adoptadas, castas & depravadas, apaixonadas & in love!

segunda-feira, Outubro 09, 2006

aaaaaaaaaaaaaaaaaaatchim



santinha!

PS: estou constipada!

quarta-feira, Outubro 04, 2006

drama aos trinta

drama aos trinta:
é ligar o computador de manhã e o e-mail não funcionar e ter 500 mil coisas para fazer!

o eu

"Em geral não nos lembramos de que, no fim de contas, é sempre a primeira pessoa que fala. Não falaria tanto de mim mesmo se houvesse outra pessoa que eu conhecesse tão bem. Lamentavelmente, a escassez da minha experiência restringe-me a esse tema."

"Walden ou a vida nos bosques", de Henry David Thoreau

segunda-feira, Outubro 02, 2006

posta (para alegrar umas e outras)

nao ha sol nem chuva
ai está um dia nim

maioria silenciosa



"Deplora ele [Henry David Thoreau] que a maior parte dos homens, esses a quem hoje chamamos «maioria silenciosa», levam vidas de sereno desespero, e que a preocupação excessiva com o sucesso material os coloque em tal situação que não podem ser outra coisa senão máquinas, tendo-se assim tranformado nos instrumentos dos seus intrumentos."

("Walden ou a vida nos bosques", na Introdução de Astrid Cabral)

quinta-feira, Setembro 28, 2006

Afinal, nem tudo está perdido

Há uns dias, estava eu a fazer um zapping e passei pelos Morangos com Açucar (sim, está sempre a dar... por isso é que passei). Detive-me. Sim! Confesso. Perante a imagem que se apresentava aos meus olhos era impossível mudar. Era uma cena passada numa sala de jantar e o diálogo era da típica família portuguesa à mesa. Não julgo o diálogo porque eu não tenho uma típica família nos tempos que correm e se calhar até é mesmo assim.
Mas... lá no fundinho... estava o motivo do meu espanto e admiração imediata pela série.
Um quadro de Camargo. Um quadro gigante, tela a óleo, de Marie Camargo.
Bolas! Afinal a Alta Autoridade para a Comunicação Social não anda a dormir! Isto é serviço público, os Morangos promovem de uma forma subtil a mais recôndita história das culturas.
Marie Camargo foi uma bailarina pungente do séc. XVIII. Numa altura em que as mulheres começavam a dançar, a dança dita erudita entenda-se e com uma notoriedade que merecesse a pena considerar, Camargo marcou a história da dança.
Subiu as saias até aos tornozelos, alterou os sapatos tirando-lhes o salto (tanto a homens como a mulheres) e com isso introduziu na dança os grandes saltos e as batteries: jetés, cabrioles, entrechat quatre...
Enfim... um bem haja aos senhores que todos os dias trabalham e trazem até nós os Morangos com Açucar.

terça-feira, Setembro 26, 2006

old friends

Este fim de semana reencontrei um velho amigo! A vantagem dos trintões é que já vivemos o suficiente para ter o prazer de reencontrar amigos que não vemos há anos e anos.... e que bem que isso sabe!

Amigos... não conhecidos! Amigos daqueles com quem gostávamos de estar, amigos que não vemos há anos mas de quem nos estamos sempre a lembrar! Apetece falar de tudo ao mesmo tempo, com saudades das vezes que rimos juntos, com imensas coisas para contar, imensas coisas para ouvir, imensas coisas para recordar! As horas passam num instante e não percebemos como pudemos ficar tanto tempo sem falar... como fomos burros, preguiçosos! Fazemos promessas para que isso não volte a acontecer, NUNCA, NUNCA MAIS!

...e o prazer de reencontrar, onde é que fica????

terça-feira, Setembro 19, 2006

queer eye



Andava eu a fazer o zap pelos maravilhosos canais que a tv cabo me proporciona quando, na SIC mulher, deparei com o programa "Queer eye for a straight guy!. Para quem não sabe, este programa equivale ao Esquadrão G da Televisão Portuguesa, mas os 5 gajos gays são americanos e bem mais giros. Mas isso não é importante, simplesmente este acaso reavivou uma ideia que surgiu quando o esquadrão G estreou em Portugal.

Para quem também não sabe, porque não vê televisão de qualidade, este programa, nas suas várias versões, consiste num grupo de 5 homens assumidamente gays que invadem a vida de um homem assumidamente straight e mudam tudo o que ele faz, veste, etc, até a alma! Devo confessar que, na maioria dos casos, as melhoras são mais do que evidentes, no entanto, os espécimes analisados são tão maus que um simples banho parece milagre! Para não acharem que estou a exagerar, no episódio que estou a ver, um dos G esteve a explicar ao H o que é um desodorizante e porquê deve ser utilizado! Believe it or not!

Mas estou a dispersar-me! Este post não é sobre o interesse deste programa mas sobre o conceito: 5 homens gays (bastante efeminados) tomam conta de um verdadeiro macho man e tornam-no mais parecido com eles... a vestir, a comer, a comportar-se! Parece ridículo? Não, nos dias de hoje, não! MAS e se fosse ao contrário????? Não estou a referir-me a 5 Hs mudarem um G! Estou a referir-me ao sexo contrário... Imaginem que 5 mulheres assumidamente lésbicas invadiam a vida de uma outra mulher assumidamente straight e muuuuuito feminina e mudavam tudo de forma a ficar menos feminina! Faz sentido?

segunda-feira, Setembro 18, 2006

Começo a notar aqui um padrão anti-depressivo. É sempre um jantaruncho!!! e devo dizer que tu, ritix, e o teu grande amigo não se tratam nada mal, não senhora...
D'oliva, foz velha...
Ai que de repente sinto-me BUÉ deprimida... também quero mousses de chocolate e massinhas frescas e outros pitéus.

Tenho dito. Sim sim, é tudo inveja.

domingo, Setembro 17, 2006

humilhação pública

caros parceiros bloguistas nervosos, serve o presente post para vos humilhar publicamente!

MEXAAAAAAAAAAAAAAM-SE! ESCREVAM! LAVEM A ALMA!!!!!! MAS ACIMA E TUDO, POSTEM!

brincamos, não? humpf!

antidepressivo potente II


jantar no foz velha com um grande amigo
(vinho fabuloso, comida sublime, atendimento excelente... ambiente indescritível!)

passeio digestivo junto ao mar
(sem frio nem calor, just right)

deitar conversa fora num café
(meio café, meio tasco)

belaaaaaaaaaaaaaaaaaaa noite de sono
(hmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmm)

funciona!

sexta-feira, Setembro 15, 2006

o que escrever...

...quando não há nada para dizer?

quinta-feira, Setembro 14, 2006

Portinhola

Apeteceu-me um kit kat. Fui a uma destas máquinas. Agorinha mesmo. Comprei um capuccino e depois o chocolate. Diz-me a máquina a certa altura: escolher o número, inserir a quantia, abrir a portinhola, fechar a portinhola.
Portinhola?
Eu sei que ninguém espera aprender com uma vending machine mas... portinhola?
Segundo o dicionário: "de portinha
s. f., pequena porta de carruagem; tira de pano para resguardar a abertura da algibeira; braguilha; Náut., peça que tapa as canhoeiras dos navios."
Bem... presumo que a vending machine parta às 17:00. É intercidades.

quarta-feira, Setembro 13, 2006

o mundo...

Já pensaram em todas as coisas que se passam no mundo e que nós não sabemos, ou pior ainda, sabemos mas escapam-nos?
fotografias que ficam por tirar
músicas que jamais iremos ouvir
quadros de génios anónimos que nunca vão ser vistos
o livro das nossas vidas que não podemos ler porque está escrito em checo e nunca foi traduzido
um poeta famoso que se cruza connosco na rua mas que não soubemos identificar
um prato maravilhoso que nao tivemos coragem de experimentar
milhares de oportunidades perdidas de sermos pessoas um pouco ou muito diferentes


que mundo injusto este...

terça-feira, Setembro 12, 2006

o linque do manel

Sem título

Eu tinha prometido postar sobre a Elsa Raposo. Prometi à Ritix.
Nós achamos que a Elsa Raposo é merecedora de postanços nos blogues deste Portugal. Porquê ainda não sabemos mas achamos que sim.
Mas eu não pósto assim sobre a senhora sem me documentar convenientemente. Fui googlar e fui ao site oficial da dita. Não encontrei nada a não ser mais matéria para dois póstes no blog. Um: o site da raposo é vazio, entenda-se oco, só tem homepage... o que até está em certa forma de acordo com o esperado; Dois: porque a empresa que o fez amanda-nos com um parlapiê digno de qualquer empresa de soluções multimédia. Disso falarei numa próxima. Da empresa. E da Raposo também.
Mas encontrei no meu googlanço uma coisa extraordinária: o site oficial do Manuel Serrão.
Ya people... o Manel tem um site.
Palavras para quê? Tá lá tudo: o CV (e que CV!!! "Confrade da LASVIN, Confraria do Vinho-Verde, Confraria da Broa de Avintes e Confraria de Jornalistas enófilos, Confraria do Vinho do Porto; Confraria do Savel e da Lampreia e Confraria das Tripas à Moda do Porto;" e também "Sócio 6635 do Futebol Clube do Porto e ex membro do seu Conselho Cultural;") tem fotos, artigos, vejam por favor as referências, e as frases...
Eu sugiro que coloquemos este site como nosso site sugerido.

Pronto... já desopilei.
E agora... com a sorte que eu tenho o Manuel deve ser da família da coffee ou do BCool...

antidepressivo potente

jantar com um grande amigo no d'oliva, comer mousse de chocolate, ir comprar cervejas à bomba de gasolina e jogar gamão à luz de velas! Funciona!

segunda-feira, Setembro 11, 2006

Dar as ultimas

Acho que é completamente impossível não falar do 11 de Setembro. E de ano para ano as razões vão mudando. 1, o choque, 2, a revolta, 3, o drama, 4, a tragédia, 5, a repetição em jeito de invasão de todo o choque e o drama e a tragédia.
Este fim de semana foi um novo bombardeamento desta vez de documentários sobre o tema. E crónicas. E imagens. E testemunhos, gravações. e o povo não se cansa. Eu própria papei tudo. Há fins de semana assim.
E enquanto via, de documentário para documentário fui pensando que para além de achar já um abuso desrespeitador da memória de todos os que pereceram, há coisas sobre as quais devia pensar. Pensar para preparar os meus últimos momentos de vida no caso de os poder gozar com consciência ainda que sob pressão de um qualquer encapuzado (como eu gosto desta palavra... transporta-me para um outro Universo... encapuzado... esta reflexão fica para uma próxima).
(E aviso que daqui para a frente neste projecto de texto não quero ferir a susceptibilidade de ninguém)
As coisas que tenho de pensar e fazer são:
Criar uma lista no meu iPod (the last songs) com a duração de uma horita, mais coisa menos coisa com as minhas músicas favoritas, incluirá claro a Universal e a Exit music for a film (que até me parece apropriada)... sim eu não evoluo e continuo com estas músicas no meu top 2.
Fazer um grupo de correio electrónico (último mail) a quem enviarei umas palavrinhas. As últimas.
Para os menos tecnológicos tenho de ligar ou enviar uma sms. O que me lembra que tenho de me informar dos números daqueles serviços de crava uma vez que normalmente nunca tenho saldo. São algumas pessoas ainda, mãe e pai, tios, a minha prima, os meus primos, as minhas meninas do ballet, as minhas amigas do ballet, pessoal do trabalho, o meu gerente bancário, ex-marido, aqueles meus outros primos, amigos que já não o são mas que até tenho pena que não o sejam, amigos que ainda o são, amigos que ainda são e que tenho pena que sejam, o príncipe perfeito. De todos estes tenho de decidir quais é que recebem uma sms e a quais é que ligo.
Enquanto faço tudo isto o ideal era ter uns brigadeiros e um cálice de madeira.
Acho que é pretty much it. Últimas palavrinhas, últimas cançõezinhas, último gesto de degustação sublime e caboum!! acho que ficava satisfeita.

AH! a partir de agora vou viajar sempre com o meu melhor par de sapatos. Nunca se sabe.

volver! Um regresso à mediocridade...

da crítica!



Eu gosto do almodóvar! Mesmo muito! Para além de gostar dos filmes dele, acho que presta um bom serviço público, já que permite que uma série de pessoas que não percebem nada de cinema para além do mainstream, possam mandar uns bitaites culturais e mais alternativos! Fazer uma referência a qualquer filme do almodóvar no meio de uma conversa, fica sempre melhor do que falar sobre o último filme do Mel Gibson ou da Jennifer Lopez... (antes de tirarem já alguma conclusão sobre a minha arrogância, gostaria de referir que me incluo claramente neste grupo de pessoas!!)

No entanto, lá por não perceber nada desta área, estou convencida que poderia fazer crítica de cinema, diria mesmo que me sinto habilitada e qualificada! Se acham que não, estão completamente enganados! Estava eu calmamente a devorar publicações periódicas de grande audiência, quando me deparei com a seguinte crítica sobre o Volver: "um almodóvar claramente mais maduro!" Ora bem, é preciso ser um génio e ter uma cultura cinéfila brutal para chegar a esta conclusão? Ou será bastante óbvio que alguns anos depois o almodóvar está mais maduro? Não estamos todos? De onde podemos depreender, que ao vislumbrar um novo filme de almodóvar em que ele está mais maduro, nós estamos mais maduros, os actores e actrizes também há um amadurecimento generalizado que salta à vista e que para o detectar não é preciso andar anos a estudar cinema...

Estava eu com este pensamento em mente, quando uma ideia atravessou o meu intelecto: e o Manoel de Oliveira? Está mais maduro ou, uma vez que o povo diz que a velhice é a segunda infância, está menos maduro? E exactamente quando é que deixamos de amadurecer e entramos na fase de regressão? Pior ainda, lembrei-me que poderiam surgir choques cinematográficos gravíssimos quando grandes realizadores deixam de amadurecer e os críticos, os actores, e todos nós continuamos a amadurecer... será que teríamos a mesma percepção do filme, estaria mais ou menos maduro? Ou manteve-se congelado?

terça-feira, Setembro 05, 2006

a 50%, se tanto!


Regressei de férias mas ainda não estou a funcionar a 100%! Não é nada fácil retomar o ritmo de trabalho, com este sol, este calor e com telefonemas e sms de alguns antipáticos que ainda estão de férias e que fazem questão de mo lembrar! Será que um dos maiores prazer de estar de férias é pensar em todos aqueles coitados que estão a trabalhar?

segunda-feira, Setembro 04, 2006

RITIX IS BACK

...mas isto das férias cansa tanto que hoje ainda não consigo postar nada que vallha a pena ler! eh eh eh afinal, 3 semanas não chegam para nada!

segunda-feira, Agosto 21, 2006

Alianaçao

As férias são momentos fantásticos de alianação....chamamos-lhe descanso....e sim é um descanso, é a oportunidade de por momentos vivermos uma realidade que não é a nossa. Há quem diga que só se dá valor às férias depois de um intenso ano de trabalho, será? Eu até gostava de experimentar isso...

quinta-feira, Agosto 17, 2006

Emigrante emigrante fostes longe e regressastes....

Não é que o Norteshopping por esta altura mais parece as galerias Lafayette?
Ocorreu-me dizer isto. Depois das férias volto. Boas férias a todos quantos.

terça-feira, Agosto 15, 2006

frio ou calor ?

todos os anos por esta altura sou assolada por um ataque de saudades do frio. no meio de dias quentes, de sol, praia, mar, tenho saudades dos dias frios de inverno, roupa quentinha, estar dentro de casa a ver a chuva cair do outro lado do vidro, ver filmes, lareira acesa, scones com doce de morango, enfim, do outono/inverno. e caio na dura realidade de ter que admitir, contra todas as tendencias actuais e fúria de terceiros, adoro as estacoes frias. estou fora de moda. gosto. gosto dos dias de frio sem chuva, do cinzento do céu, de camisolas de gola alta confortáveis, de mangas até meio da mao, de botas, de scones quentinhos, da cor avermelhada das folhas, dos galhos das arvores despidos, do som da cidade nos dias de frio, do mar revolto de inverno.
gosto sobretudo de ser verao e de saber que depois vem o outono/inverno. estar no calor e sonhar com o frio...assim um pouco ao estilo antónio variacoes, de estar bem onde nao estou. este ano tive sorte, ou nao. vim de ferias. mala feita. t-shirts. calcas de ganga. duas camisolitas. um casaco fresco. um enorme sentimento de satisfacao por apenas ocupar metade de uma mala. cheguei ao meu destino de férias...e lembrei-me do frio. as saudades nao duraram muito. estao 15 graus. um frio de morrer. chove. dias cinzentos. guarda-chuva. já matei saudades do frio.
amanha regresso para o calor! vou adorar. sol, mar, praia. é caso para dizer... oh God make it winter....but not yet
ps :: o teclado nao tem cedilhas nem tis, deve ser do frio!

quinta-feira, Agosto 10, 2006

ok... malas!

Sou só eu que odeio ter de fazer e desfazer malas? Há pior coisa que ter de planear que roupa levar para férias?

Sempre que vou de férias tenho esperança que me aguardem dias e noites cheios de surpresas, de imprevisíveis, de desconhecidos prontos a oferecerem-me flores, príncipes encantados que se apaixonam por mim à primeira vista, festas loucas ao luar com amigos e amigos dos amigos em que acabam todos dentro de água, passeios de barco com ski à mistura, caminhadas na praia com um amigo que não via há anos, jantaradas até às 5 da manhã, noitadas passadas a jogar cartas, beber finos e comer tremoços, conversas que se prolongam na praia até ao sol se por (ou até ao sol nascer...), noites passadas em discotecas a dançar... tudo o que cabe numas pequenas férias de verão!

Com tantas incertezas, é impossível fazer uma mala! Uma escolha errada pode comprometer qualquer um destes programas. Por exemplo, imaginem que vou jantar com uns amigos, de vestinho justo e decotado e saltos stiletto, quando, de repente, a virar da esquina aparece o verdadeiro James Bond num motão e me convida para jogar BlackJack no Casino do Mónaco? O vestido até pode ser adequado para o Casino, mas como é que chego lá de mota? Impossível! Outro exemplo, com a mesma roupa (evidentemente, no mesmo dia) seria logo depois do jantar, George Clooney que estava a jantar no mesmo restaurante na praia, convida-me para ver o plancton a brilhar nas ondas! Irrecusável, porém, vou enterrar-me na areia e ficar mais baixa 15 cm, perdendo parte do glamour!...

É absolutamente inviável prever tudo o que pode acontecer numas férias de verão, quanto mais fazer um mala com roupa, sapatos e acessórios para todas as potenciais situações! O que acontece é que acabo por ter de transportar uma mala demasiado grande, cheia de coisas fantásticas que acabo por não usar, para depois chegar à conclusão que me esqueci das minhas calças de ganga favoritas! pfffff

.: Em Gonçalo Cristóvão

.: Em Gonçalo Cristóvão, por exemplo, porque o Porto surpreende de maneiras muito diferentes!

quarta-feira, Agosto 09, 2006

30 actores estrangeiros a quem dava umas trinquitas


(lista não vinculativa, não exclusiva e sujeita a alteração. a ordem dos nomes não é representativa da preferência!)
1 - Sean Connery
2 - Ralph Fiennes
3 - Brad Pitt
4 - Colin Firth
5 - Hugh Grant
6 - Tom Cruise
7 - Paul Nicholls
8 - George Clooney
9 - Rupert Everett
10 - John Cusack
11 - Richard Gere
12 - Jack Nicholson
13 - Johnny Depp
14 - Jonathan Rhys Meyers
15 - Matthew Goode
16 - Denzel Washington
17 - Bruce Willis
18 - William Hurt
19 - Orlando Bloom
20 - Pierce Brosnan
21 - Russel Crowe
22 - Harrison Ford
23 - Dan Futterman
24 - Blair Underwood
25 - James Denton
26 - Antonio Banderas
27 - Paul Newman
28 - Ewan McGregor
29 - Dennis Quaid
30 - Keanu Reeves

(NHAC NHAC NHAC)

terça-feira, Agosto 08, 2006

contos para tontos - revival

Todos os dias ele estava ali. Sentado na mesma mesa. Sozinho. Comia sempre sozinho. Todos os dias. Todas as refeições. Mas não tinha um ar triste ou solitário, infeliz ou abandonado. Pelo contrário. O seu olhar era vivo e atento. Observava tudo o que acontecia no café. Não perdia nada. A empregada de mesa que fazia olhinhos ao rapaz das entregas, enquanto puxava a camisola para baixo para mostrar o decote. O senhor velhinho que bebia três copinhos de aguardente antes de começar a trabalhar e mais dois no regresso a casa. Os meninos da rua que inventavam histórias e cambalhotas para conseguirem roubar os quadradinhos de chocolate que são servidos com o café. E ele estava lá, a observar. Não conversava com ninguém. Não fazia um comentário. Limitava-se a ver e absorver cada gesto, cada som, cada cheiro. Chegava pouco antes da hora do almoço, com o jornal dobrado na mão. Mas nunca o abria. Nem para disfarçar. Não chamava a empregada. Esperava pacientemente que o viessem atender. Esperava e observava. Sem pressas. Sem dar nas vistas. Depois, almoçava. O prato do dia, sempre o prato do dia. A empregada já sabia. Ele limitava-se a acenar afirmativamente para responder “à pergunta do costume”. Sem gosto ou desgosto, ele comia. Assim passava precisamente uma hora e quinze minutos. Naquele café. Naquela mesa. Depois vinha a noite e a hora de jantar. À hora do costume, às 19 horas e 45 minutos ele chegava. E era tudo igual. O mesmo jornal, a mesma mesa, a mesma cadeira, os mesmos olhos vivos e intrigantes. Ninguém parecia notá-lo. Ninguém se incomodava com aqueles olhos observadores e atentos que pareciam querer viver as nossas vidas. Mas eu notava. Eu via. Não que ele olhasse para mim mais do que para os outros. Pelo contrário, penso mesmo que me evitava. Talvez por eu saber. Talvez por eu ver. Não sei. O que via ele? Seria apenas curiosidade, ou era um escritor à procura de tema para os seus livros? Penso que não, pois nunca o vi a tomar notas. Dei por mim, várias vezes, a observá-lo compulsivamente enquanto tentava adivinhar o que o motivava. Seria polícia, detective, ladrão, gatuno... Queria perguntar-lhe mas não tenho coragem! Eu sou apenas uma peça do mobiliário do café, transparente que ninguém vê. Ele é um senhor. Bem vestido, bem parecido. Mas também, perguntar o quê? Porque olha, porque observa? O que procura? Procura algo? Porque não fala? Porque não conversa? Já nos conhece a todos!!! Já nos viu rir, já nos viu chorar! Fale connosco! Mas não tenho coragem! Quem sou eu?
Um dia, à hora do almoço ele não apareceu. Veio o jantar... mas ele não. Passaram-se dias, semanas. Ele não chegou. Ninguém notou?

segunda-feira, Agosto 07, 2006

A Cidade Surpreendente: Agosto no Porto

A Cidade Surpreendente: Agosto no Porto Cada vez mais supreendente, a cidade! Dantes não era assim, pois não?

A cidade surpreendente...

Imagens do Porto que todos devíamos conhecer... mas que eu ainda não conheço!
pessoas estranhas
com o passar dos anos tenho ganho um particular gosto em observar. pessoas, coisas, situações. delicio-me com pequenos aspectos da personalidade, aspectos únicos, que não vemos em nós mas de que os outros se apercebem. nós, pessoas, somos estranhas, umas mais do que as outras. não resisto a contar esta.
no fim-de-semana, em casa de uns amigos, melhor, de um casal amigo que não pratica discriminação por acasalamento, falava com uma rapariga que não conheço tão bem. numa conversa tipicamente silly season perguntava onde é que ela ia passar as férias...
- "acho que vamos ficar por cá. pensámos ir para o algarve mas sabes.... o número de multas passadas nas autoestradas a caminho do algarve é tão grande que desistimos. tens ideia da quantidade de pessoas que são multadas?! vamos ficar por cá"
há pessoas estranhas...umas mais do que as outras

verbos #1 - preguiçar

Bom, so gostava de vos dizer que adoro praticar a terrível acção que não mais mencionarei o nome... assim juntamente com aquela junto estas que hoje e visto que são consideradas não produtivas costumam ser tão criticadas como a dita...
ler de um tudo,
ver séries de televisão,
fotografar a nossa rua,
viajar no sofá,
simplesmente estar na praia,
sofar (não confundir com surfar, este vem de sofá),
ir ao cinema,
andar,
passear na nossa cidade como se fosse um turista,
aprender formas esquisitas de fazer as coisas no computador, simplesmente porque "é impossível que demore tanto tempo a fazer isto" (evidentemente que demoro sempre mais tempo a descobrir a forma mais rápida de o fazer),
escrever,
perder-me no "lixo" da internet,
olhar o mar,
mas lembrem-se não imitar, nem consumir em grandes doses, podem ficar viciados.
ah, ah!

coupling #3

"Susan, you are offering this man food and sex in the same place. If there’s something to read in the loo he may never leave."
Sally

"I really quite like being single. Except for the bit about not having a man."
Jane

"No, I’m sorry Steve, you’ve been with Susan a year now. Either you’ve got a future, or you should just get married."
Patrick

Sally: What do you call people you go out with but you don’t try to sleep with? Patrick: Men.

coupling #2

coupling #1


Too good to be true...
Este blog vai adoptar coupling como série de culto!

domingo, Agosto 06, 2006

sorte ao jogo

há quem tenha demasiada....

não há condições de trabalho!


Como diz o gato (referência televisiva), não posso trabalhar por razões profissionais! Não recebo e-mails de piadas, não tenho contactos no messenger, os blogs estão muito parados! Até parece que é Agosto e as pessoas normais estão de férias! Parolos! Férias em Agosto!

Não há qualquer motivação profissional! Vou meter baixa!

sábado, Agosto 05, 2006

inhos e inhas....

se há coisinha irritantezinha que mexe com os meus nervinhos é a maniazinha que algumas pessoazinhas têm de falar com inhinhos e inhinhas sempre que abrem a boquinha! alguém quer um cafezinho? e uma bolachinha? ou um bolinho? e o almocinho, estava bonzinho? é enervantezinho ou sou só eu?
Claro que este é um problemazinho que me afecta particularmente, já que com o meu metrinho e meio de alturazinha estou condenadinha a ser ritinha desde que me conheço como gentinha... ritinha, baixinha, gordinha, fofinha, parvinha, qualquer coisinha, desde que termine em inha... é a minha cruzinha!

sexta-feira, Agosto 04, 2006

parabéns para mim...


faço anos hoje... just in case you didn't get it!
jornal do aniversario
4 de agosto 1974
presidente discursa sobre o nascimento
O Presidente da República Portuguesa, Costa Gomes, proclamou, num breve discurso ao país, que hoje será dia de celebração nacional pelo nascimento de ritix. Era evidente o seu contentamento pelo tão aguardado nascimento. Hoje, na sua curta visita ao bébé, Costa Gomes, reencontrou várias personalidades da sociedade portuguesa, mostrando-se bastante animado. O dia será, a partir de agora, uma data importante no calendário nacional.
principais notícias do mundo neste ano
- Tomada de posse do general Spínola como vice-chefe do Estado-Maior-General das Forças Armadas.
- Após 85 dias no espaço, a estação espacial norte-americana Skylab regressa à terra.
- Mariner 10, satélite norte-americano, tira fotografias ao planeta Mercúrio.
- Em Portugal, golpe de Estado, conhecido por Revolução dos Cravos: o Movimento das Forças Armadas (MFA) derruba o regime autoritário e o poder é entregue à Junta de Salvação Nacional, liderada pelo general António de Spínola.
- No teatro São Luís, primeira actuação do cantor português Sérgio Godinho em palcos portugueses.
- Em Portugal, através de decreto, é fixado o primeiro salário mínimo, 3300 escudos mensais, exceptuando os trabalhadores rurais e domésticos.
- Richard Nixon torna-se o primeiro presidente dos EUA a demitir-se do cargo perante as ameaças de denúncia do seu envolvimento no escândalo Watergate
- Portugal reconhece a independência da República da Guiné-Bissau.
hollywood
O prémio para o melhor filme foi para O Padrinho II. Este filme arrecadou também o óscar para o melhor realizador, Francis Coppola. Para o melhor actor o óscar foi atribuído a Art Carney pelo seu excelente desempenho este ano. Considerada a melhor actriz, Ellen Burstyn, recebeu o seu óscar com grande contentamento.

as músicas dos tops são...
As Musicas dos tops sao: The Joker / The Steve Miller Band, Sweet Home Alabama / Lynyrd Skynyrd e Waterloo / Abba.
fazem anos neste dia...
1792 - Percy Bysshe Shelley (poeta)
1859 - Knut Hamsun (escritor)
1900 - Isabel (rainha consorte de Inglaterra, a rainha mãe)
1901 - Louis Armstrong (cantor)
parabéns ritix !!!

quarta-feira, Agosto 02, 2006

o caderninho vermelho

em certos momentos da vida, não em todos, tudo parece ter uma dinâmica diferente. como se de repente o mundo revelasse o seu lado mais subtil. sentimos que esse mundo está sempre lá, talvez nem sempre tenhamos é a predisposição para o apreciar, para o sentir. o fenómeno das coincidências é um desses lados subtis.

primeiro convem perceber o que é isso de uma coincidência. que coincidência é diferente de acaso. que um acaso acontece sem sentido, uma coincidência é algo que acontece mas não por acaso. como por exemplo encontrar uma pessoa com quem se sonhou e já não se vê há muito tempo e ela/e transmitir algo de relevante ou conhecer pessoas que nos falam de situações que estamos a viver e nos trazem uma nova perspectiva das coisas. no minimo as coincidências são situações divertidas, mas podem ser mais do que isso…

segundo as teorias da nova era as coincidências trazem mensagens que potenciam a evolução individual. carl jung chamava a este processo sincronicidade, ou “efeito do arquétipo mágico”. de qualquer modo parece ser geralmente aceite que a consciência da coincidência permite ao homem uma harmonização com o mistério do universo, seja ela um acontecimento aleatório ou uma resposta a uma pergunta inconsciente.

na semana passada resolvi ir comprar o último livro do paul auster – “loucuras em Brooklyn” – e eis que descubro um outro livrinho do mesmo autor “o caderno vermelho”. nele, paul auster anotou algumas das coincidências mais engraçadas da sua vida. as minhas sucedem-se. já comprei um caderninho para as começar a anotar. :)

trabalhar em agosto

porquê fazer férias em Agosto quando se pode estar a trabalhar?

procastinar

verbo absolutamente irritante!
where the hell is Matt?

um rapaz que viaja pelo mundo e manda notícias à família por estes videos. com som


terça-feira, Agosto 01, 2006

a espada e a parede



por vezes, abdicar de algo é a única forma que temos de não o perder, de não o destruir! mas como é difícil...

emocionalmente estúpida

hoje sinto-me assim!

homens na cozinha...


...sexy!

inspiração...

onde estás tu?
Quem morre?

Morre lentamente
quem não viaja, quem não lê,
quem não ouve música,
quem não encontra graça em si mesmo.
Morre lentamente
quem destrói seu amor
próprio, quem não se deixa ajudar.
Morre lentamente
quem se transforma em
escravo do hábito,
repetindo todos os dias os mesmos trajetos, quem não muda de marca, não se arrisca a vestir uma nova cor ou não conversa com quem não conhece.
Morre lentamente
quem evita uma paixão e seu redemoinho de emoções, justamente as que resgatam o brilho dos olhos e os corações aos tropeços.
Morre lentamente
quem não vira a mesa quando está infeliz com o seu trabalho ou amor, quem não arrisca o certo pelo incerto para ir atrás de um sonho, quem não se permite, pelo menos uma vez na vida, fugir dos conselhos sensatos...

Pablo Neruda

segunda-feira, Julho 31, 2006

high fidelity, the movie


haverá melhor ilustração de um trintão à beira de um ataque de nervos que o John Cusack no papel de Rob?

Os indigentes e a limpeza urbana

Vinha eu da Rua D. Manuel II em direcção ao HGSA quando na esquina onde estão agora as obras do buraco de Ceuta reparei que estavam espalhados pelo chão e soleiras de portas pratos, garfos, facas, copos (tudo de plástico) e também alguns guardanapos de papel, latas vazias, garrafas, restos de comida...
ora bem... deduzi que devem ter organizado um festim para os sem-abrigo (vulgo vagabundos).
Não me julguem mal, eu até acho que a sociedade solidária e interventiva deve dar de comer aos indigentes... mas, e limpar no fim, não?

há mortos e enterrados...

...que teimamos em desenterrar! why? não gostamos de sossego?

Aos trinta, é relativamente normal viver ou já ter vivido situações de caos emocional, que podem ter origens variadas... mas dificilmente conseguimos sobreviver a estas situações sem as complicar ainda mais, por iniciativa própria! Um caso típico de auto-complicação é o de trazer para o presente relações do passado, que estariam mais do que resolvidas, não fosse a nossa vontade incontrolavel de acordar fantasmas! Claro que na altura, passa-nos pela cabeça que se a relação não funcionou "em antes" (expressão típica do norte de Portugal), quando ainda tínhamos alguma sanidade emocional, é mais do que óbvio que não vai funcionar no presente! Mas e então? Isso impede-nos de ter atitudes suicidas? Claro que não!

Estarei a falar de mim ou de outras pessoas? I wish I knew...

Amar = Insegurança

Será que quem ama é necessariamente inseguro...é que os extremos tocam-se de uma maneira. Querem ver? Se amamos mas somos seguros e independentes...aguentámos as vicissitudes das relações com uma leveza estranha. Um dia acusaram-me, bolas, mas tu não te importas com nada? E eu, bom não é nada que eu possa controlar, só faço a minha parte os outros que façam a deles! Normalmente esta postura, tem várias consequências, a primeira é que torna a outra pessoa insegura...e aparentemente isso é que é amar.
Não tenho grandes certezas mas... eu gostava que não fosse assim. Gostava de ter a segurança para ficar inseguro e amar, mantendo a minha segurança...a última parte já consigo, a primeira é que não sei.
Se alguém percebeu, comente, se não percebeu, comente....

Mulheres de 30

Cá fica um textinho que me enviaram por email há pouco tempo...e eu não podia concordar mais.
Fica o desafio para aumentarem a lista via post ou comment.
ESCRITO POR ANDY ROONEY, APRESENTADOR DO PROGRAMA DA CBS "60MINUTES")Para todas as mulheres com mais de 30 anos... e para aquelas que têm medo de entrar nos 30... e para os homens que têm medo ou que não sabem lidar com mulheres com mais de 30!
À medida que vou envelhecendo, valorizo cada vez mais as mulheres com maisde 30 anos.
Estas são apenas algumas das razões porque o faço:
- Uma mulher com mais de 30 nunca te acordará a meio da noite para perguntar Em que é que estás a pensar?". Ela não se importa com o que tu pensas.
- Se uma mulher com mais de 30 não quer ver o jogo de futebol, não se senta a teu lado a lamentar-se. Ela faz alguma coisa que queira fazer.E,geralmente, é algo mais interessante.
- Uma mulher com mais de 30 conhece-se suficientemente bem a si própria para estar certa de quem é, o que quer e de quem o quer.Poucas mulheres com mais de 30 anos ligam alguma ao que tu possas estar apensar sobre ela ou sobre o que ela está a fazer.
- As mulheres acima dos 30 têm dignidade. Raramente terão uma discussãoaos gritos contigo na ópera ou no meio de um restaurante chique. Noentanto, claro, se tu mereceres, não hesitarão em dar-te um tiro.
- As mulheres mais velhas são generosas nos elogios, muitas vezes não merecidos. Elas sabem o que é não ser apreciado.
- Uma mulher acima dos 30 tem segurança suficiente para te apresentaràs amigas. Uma mulher mais nova acompanhada de um homem ignora frequentemente até a melhor amiga porque não confia no homem perto de outra mulher.Uma mulher com mais de 30 não se podia estar mais nas tintas se tu te vais sentir atraído pelas amigas dela, não porque confie em ti, mas porque sabeque elas não a trairão.
- As mulheres tornam-se psíquicas à medida que envelhecem. Nunca terás que confessar os teus pecados a uma mulher com mais de 30.Elas sabem sempre.
- Uma mulher com mais de 30 fica bem a usar um batom vermelho brilhante.O mesmo não se aplica às mulheres mais novas.
- Depois de ultrapassares uma ou outra ruga, vais ver que uma mulher com mais de 30 é de longe mais sexy do que qualquer colega mais nova.
- As mulheres mais velhas são correctas e honestas. Dizem-te imediatamente que és um idiota se te estiveres a comportar como tal. Nunca tens que tentar adivinhar em que pé estão as coisas entre vocês.
- Sim, nós elogiamos a mulher com mais de 30 por várias razões.Infelizmente, não é recíproco. Por cada bela, inteligente, segura e sexy mulher com mais de 30 anos, existe um careca, barrigudo, em calças amarelas a fazer figura de parvo com uma empregada de mesa de 22 anos...

Macho Latino

Conversa fantástica de fim de tarde acompanhada de finos e tremoços...estava a tomar café com uma amiga quando chegam dois conhecidos dela...um rapaz e uma rapariga. A conversa rapidamente diverge para as relações de hoje em dia....
Ele - Eu não gosto de promiscuas. Não entendo as mulheres, dizem que querem uma relação estável e no entanto andam para aí com todos. Se vou para a cama com uma mulher no primeiro mês, já sei que não serve como namorada....(...) há coisas que com a namorada não se fazem (...)
Ela - Pois...isso é normal....é por isso que nós temos de mentir, eu cá por mim digo que ele é sempre o segundo da minha vida (...) até tenho de me fazer de sonça.....
Achei que a minha opinião estava tão longe do que estava a ouvir que nem seuqer me dei ao trabalho de comentar. Será que anda tudo doido? Então, nós os machões, numa altura em que sexo é todo em siglas e nomes esquisitos, tipo S&M, bondage, oh!my bod!, e sei lá que mais...elas devem ter todas aprendido com um santo qualquer do tipo espirito...
O Porto até é uma cidade cosmo, está é cheio de pessoas que não são....

O Porto é uma cidade cosmo....

... mas não ao Domingo à noite!
Trintona que se preze, reconhece os seus pequenos erros!

sexta-feira, Julho 28, 2006

Central Park no Porto...

cosmooooooooooooooo.....

quinta-feira, Julho 27, 2006

instante decisivo

dá Deus nozes a quem não tem dentes....

instant dinner #6



ontem roubaram-se relógios e partilharam-se momentos únicos no elevador... mas o Porto é uma cidade inCosmopolita...

instant dinner #5

ontem, no mesmo jantar onde estive, falou-se de sexo, praticou-se S&M com recurso ao philippe stark, houve strip masculino... e o Porto não é uma cidade cosmopolita!


instant dinner #4





ontem estive num jantar com comensais desfocados... e imaginem lá que nem assim o Porto se torna numa cidade cosmopolita!

instant dinner #3



ontem estive num jantar onde não havia fumadores.... passivos mas o PORTO NÃO É COSMOPOLITA!